domingo, 18 de novembro de 2012

NADA

A gente tinha um nada tão grande mas tão grande,
que preenchia todos os espaços e incomodava todo mundo... 
...menos a gente que não tinha nada.
E seguíamos plenos!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

DAVI NO CONTA GOTAS: DUAS GOTAS...


Primeira gota:

Hoje de manhã brincando com o Chaves, o gato que apareceu por aqui e acabou ficando, disse para o Pedro e para o Davi:
-Caramba! O Chaves come, come, e não engorda...
-É porque ele não é castrado, mãe...(Pedro disse)
Nesse instante, o Davi leva as duas mãozinhas à pancinha que exibe com pouco orgulho e diz:
"-MANHÊ...EU TÔ CASTRADO!!"







Segunda gota:

Os meninos chegam a mil do colégio. É um vuco vuco...
Eu tentando acalmar os ânimos, digo para o Davi:
-Davi, já para o banho! Tire a roupa, feche o box para não molhar o banheiro todo e não jogue água no teto, ouviu?!
E ele me responde já tirando a roupa:
-SIMMMM, PROFESSORA HELENA!!!
(ele sabe que eu acho essa professorinha muito chateeeenha!)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Verso Pelo Avesso

Viro o verso pelo avesso,
Não tenho medo do reverso.
O que não rima, 
Não desanima.
Você é meu exercício
de desprendimento.
Nada espero, nem idealizo.
Somos tão diferentes
que nos encontramos na outra ponta.
E o encontro instiga, atiça,
coça, roça,
assanha a sanha.
Sei que vou morrer não sei a hora
mas se vivo, viva o coração no pulso! 
Tomo gosto e ponho meu barco no mar.          
Hoje é dia do Círio de Nazaré.                             
Nazinha que me proteja
e vice-versa!
Faço o sinal da cruz,
Reverencio Yemanjá

e viro o verso pelo avesso...

(post publicado originalmente em Interrogações)

terça-feira, 2 de outubro de 2012

"Esta pouca cinza fria..."

A segunda-feira amanheceu silenciosa.
Reverência às convicções que trago comigo há tempos,
mas que hoje têm sabor de descoberta.
Amargo.
Dia-a-dia,
num processo mórbido de expiação de uma culpa que não existe,
mas insiste,
vou me tornando o meu grande algoz.
Morri ontem e só agora sei que não vou ressuscitar no terceiro dia.
Descobri tarde demais que não era Deus.
Você, que já sabia, não me perdoou e
me deixou morrer sozinha...
"Envelhecer não é nada fácil!"










sexta-feira, 6 de julho de 2012

"Cores de Frida Kahlo, Cores..."

   Hoje, se a pintora mexicana Frida Kahlo estivesse viva completaria 107 anos. Mulher intensa, passional, muito a frente do seu tempo. Apesar de ter morrido aos 47 anos e a dor e o sofrimento terem pontuado a sua vida, Frida magistralmente conseguia transformar toda a sua angústia em arte. Levava às telas, todas as cores que porventura não encontrava em sua realidade. Numa certa ocasião, Kahlo recebeu a incumbência do governo mexicano de retratar cinco mulheres mexicanas importantes na história e disse: ''Querem que eu retrate cinco mulheres mexicanas importantes em nossa história; faço pesquisas para saber que tipo de baratas foram essas heroínas, que tipo de psicologia era o seu fardo, a fim de, ao pintá-las, as pessoas possam diferenciá-las das mulheres comuns e vulgares do México, as quais, para mim, são mais interessantes e poderosas do que as damas mencionadas.'' 
    Assim era Frida, sabia que poderia alçar voo e não aceitava nada menos como limite. A mulher se foi mas o mito e sua grandiosa obra ficaram. Cores de Frida Kahlo, cores...  (Clara Gurgel)

"Pintar completou a minha vida. Perdi três filhos e uma série de outras coisas, que teriam preenchido minha vida pavorosa. Minha pintura tomou o lugar de tudo isso. Creio que trabalhar é o melhor"  


Post publicado no Interrogações

terça-feira, 3 de julho de 2012

"Cidadezinha"

    Moça donzela debruçada na janela,
    se arruma, se apruma, pois lá no morro, na capela,
    bate seis horas da Ave Maria.
    Moço bonito e  faceiro a quem ela dedica
    noites de lua cheia, apertando contra o peito o travesseiro,
    já lá vem pelo passeio, cantarolando velha melodia.

   Como sempre pára debaixo da janela,
   sorri e lhe faz um gracejo.
   Ela, como rubra rosa se recolhe um pouco, pudica encolhe o corpo,
   para em seguida, de soslaio, exibir ofuscante feito raio, um tom de
   abuso no pouco de um colo farto.
 
   Tinha certeza de que um dia ele a levaria,
   simbora rumo a cidade grande, 
   homem interessante, inteligente, viril,
   cavalo branco pela pradaria.
   Outro igual nunca se vira, nem o filho de Seu Nestor, 
   que pra casar prestava não, ficou velho sem namorar,
   ninguém entendia, até que um dia, sumiu, foi-se embora com um primo, feliz,      pro exterior. 
   Ôh cidadezinha essa de meu Deus!! 
   
   Lá vem moço bonito e faceiro mais uma vez...





domingo, 1 de julho de 2012

"Amor em Budapeste..."

"Nenhuma nesga de luz,
 Nenhum rabicho de sol,
 Só insiste em brilho fosco,
 Tosco agora,
 O arco íris que comprei em 
 Budapeste há dois anos,
 Quando não éramos sós,
 Quando éramos sóis,
 Quando éramos nós.


Arranco a casca da ferida. 
Reparto em dois, em três, em mil 
aquilo que queria engolir sozinha.
Agora tanto faz. Não machuca mais.
Não há sangue correndo pro teu mar
Porque não era eu
Porque não era você
Porque não era amor..."





sexta-feira, 22 de junho de 2012

Davi no conta gotas: "Cheiro de saudade!"

     Davi adora ficar me cheirando e agora à noite me saiu com essa:
     "-Mãe, deixa eu te cheirar? Huum, cheiro delicioso...parece 'cheiro de saudade',
     igual quando você foi lá pra Niterói..."
     :****

terça-feira, 12 de junho de 2012

"Amar amor..."

"Se você fosse outro,
Meu amor seria o mesmo
mas seria outro.
Porque amar o outro
é só amar e...ponto." (CG)

domingo, 10 de junho de 2012

"Davi no conta gotas: Sintetizando..."

       Hoje enquanto via um programa infantil com os meninos comentei:
      -Será que essa moça já ganhou neném?
      -Mãe, o marido dessa moça é esse aí do lado dela, disse o Pedro.
      -Talvez não seja, Pedro. O marido dela pode ser alguém que nada tenha a ver com a TV.
       Ao ouvir nossa conversa, Davi leva a mãozinha fechada à testa e conclui "sinteticamente":
      "-Dãaaaaaa!"



segunda-feira, 4 de junho de 2012

PRIMEIRA AUDIÊNCIA DO CASO DE ESTUPRO COLETIVO DE QUEIMADAS, NA PARAÍBA


A primeira audiência com os envolvidos no estupro coletivo da cidade de Queimadas, em que cinco mulheres foram estupradas e duas mulheres mortas em fevereiro deste ano, começou às 9h desta segunda-feira (4) no Fórum da cidade. Serão ouvidas 16 pessoas, mas os adultos acusados de envolvimento no caso não participarão. Os menores de idade, as vítimas sobreviventes e as testemunhas estão depondo no Tribunal do Júri do Fórum e a audiência só deve terminar no início da noite de hoje.

De acordo com a juíza Flávia Baptista Rocha, os acusados seriam levados para assistir à audiência, mas não iriam depor nesta segunda. Segundo ela, os acusados não comparecerão ao Fórum por recomendação da direção do Complexo Penitenciário de Segurança Máxima Romeu Gonçalves de Abrantes, PB1 e PB2. A direção orientou que eles não fossem retirados do presídio por causa da rebelião no local na semana passada.

Os adolescentes, que apenas assistiriam à essa primeira fase, devem depor ainda nesta segunda. Além deles, das vítimas e das testemunhas, os advogados de defesa e acusação também falarão. Essa primeira audiência é de instrução e os adultos acusados só particparão da próxima, quando serão ouvidos. Nas duas audiências serão avaliados laudos e provas das participações de cada acusado. Depois da qualificação dos réus, a juíza decide se os eles serão levados a júri popular ou não.

A audiência dos adultos acusados será marcada ao fim da que está acontecendo nesta segunda. "Vai demorar muito em função da complexidade do caso. Geralmente, as audiências acontecem em um dia, mas devido ao número de pessoas e do perfil dos crimes, não faremos em um só", disse a juíza. O promotor de acusação do caso, Márcio Teixeira, disse que a próxima audiência deve acontecer na segunda-feira (11).

Todos os depoimentos serão filmados para agilizar a captação das informações. Segundo o promotor, depois que essa fase for concluída, o próximo passo do processo é o julgamento. Ele acredita que Eduardo, acusado de planejar a ação, será levado a júri popular. Todos os outros acusados serão julgados pela juíza Flávia Baptista, segundo ele.

Acusação Conforme as investigações da Polícia Civil e a denúncia feita pelo Ministério Público da Paraíba, cinco mulheres foram estupradas e duas delas assassinadas durante uma festa. Para a polícia, os estupros teriam sido planejado pelos irmãos Luciano e Eduardo dos Santos Pereira, que teriam convidado amigos para abusar sexualmente de mulheres convidadas de uma festa promovida por eles.

Os irmãos teriam simulado a chegada de assaltantes na casa e usado máscaras e capuzes para não serem reconhecidos. Duas das vítimas teriam conseguido ver as pessoas que as violentavam e por isso foram tiradas da casa e executadas.

Os dez rapazes estão sendo acusados por estupro, cárcere privado, lesão corporal, formação de quadrilha. Eduardo, no entanto, está sendo acusado isoladamente também por duplo homicídio e posse ilegal de arma.

Os adolescentes podem passar até três anos internados no Lar do Garoto, em Lagoa Seca, mas a cada seis meses poderão ser reavaliados. Dependendo do comportamento dos menores de idade, o tempo de internação pode ser reduzido.

O crime

No dia 12 de fevereiro de 2012 duas mulheres foram assassinadas na cidade de Queimadas, no Agreste da Paraiba. Segundo a Polícia Militar, elas estariam em uma festa de aniversário em uma casa com dez homens e outras três mulheres. Os homens são acusados de estupras as cinco e matar duas delas. As mortes teriam acontecido porque as vítimas reconheceram os criminosos. Uma delas foi morta com quatro tiros em uma rua central da cidade e a outra foi assassinada com três tiros na estrada para Campina Grande.
(Esse post foi publicado aqui)

sábado, 2 de junho de 2012

"Ligar pra Andreia sempre funciona!"

 (Post publicado originalmente no Interrogações)
Apesar da quantidade enorme de endorfina liberada pela minha hipófise nesse feriado, hoje acordei triste, tristinha. Sabe quando você está com o fone de ouvido e acendem aquela luz vermelha na sua frente e você responde:"SIM!"? Pois é, hoje estou exatamente no momento em que descubro que vou levar o abacaxi ao invés da bicicleta. E eu queria a bicicleta. Ah, como eu queria aquela bicicleta... Vai passar, eu sei que vai. Como eu dizia a um velho amigo que se foi a pouquíssimo tempo, estou só tendo um "dia de gato, no caso, de gata esfregando o rabo". Nunca viram a bichinha pedindo colo? Como estou sozinha, vim esfregar o rabo aqui mesmo nas pernas de vocês. Sejam complacentes comigo, por favor. Alguém aí tem algum palpite do que possa estar me afligindo? Ãh? TPM? Não, tenho mas fico nervosa e não triste. Briga com "Sinhô Meu Marido"? Não, fico nervosa e não triste. Falta de grana? Já me acostumei. Não fico nem nervosa e muito menos triste. Menopausa? Só se for precoce, meu bem! Obrigada por tentar me fazer rir, não funcionou... próximo...musiquinha ajuda? Já estou ouvindo... O que estou ouvindo? Maysa... Não escutou, eu disse: Maysa... Eu disse MAYSAAAA!! "Meu Mundo Caiu". Tá bom, tá bom... já troquei...mas é que...tá bom, tá bom... Vou sair e cortar o cabelo. Se não voltar parecendo um poodle como já aconteceu, pode ajudar. Esquece! Minha cabeleireira se mudou e nem me deu o endereço novo. Ingrata! Dei a ela as melhores madeixas da minha vida. Cabeleireiro bom era o Márcio. Uma verdadeira sessão de análise. Quando chegava lá no salão dele, ele me via na porta e já gritava: "Claguiiinha, sua guinda! Hoje é franja na frente e pica atrás?!" Ai, ai... Saudade do Marcinho. Bom, acho que vou ligar pra uma amiga. Quem precisa de analista quando se tem amigos, neam?! Vou ligar pra Andreia. Amiga de infância. Perfeita para esses dias de calundu. Andreia é aquela pessoa que quando encontro na rua tenho até medo de perguntar se está tudo bem (lógico que é pra essa mesmo que vou ligar!). Toda vez que ligo ela faz questão de desfiar o rosário todinho. Quando desligo, me sinto ótima como se não tivesse problema nenhum. Tratamento de choque, sabe?! Comigo funciona. "Telefonar pra Andreia é batata!" Ah, gente... pera aí...como assim "não vai funcionar"? Vai sim... Não, não quero...Isso também não... Olha aqui, vou tentar a Andreia, se não der certo, ligo a TV, ponho no Datena e emburaco de vez. Fui!
      "- Alô, Andreia? Jura? Não acredito... Mas me conta, como é que isso foi acontecer com você?!"             




segunda-feira, 21 de maio de 2012

"Constipação"

Por hora está tudo congestionado. Entupido. Nariz, tripas, peito, coração, cérebro...cheio nem sempre é plenitude. Não sinto mais seu cheiro e nem seu sabor. Perdi o paladar e estou ficando sem tato para lidar com a situação. Irritada, assôo o nariz no peito amigo de um traidor. Faz parte do meu show, meu amor...
    A sexta chega, viajo e fica tudo bem. Sempre fica!

segunda-feira, 14 de maio de 2012

RAPIDINHAS DO PEDRINHO: "Tubaína"

      Hoje de manhã fazendo a lição com o Pedro:
     -Pedro, nome de um grande mamífero que vive na água...
     -Hummm...tubarão?!
     -Não...quase...
     -Tubaína??
      Clara riu... e Pedro também...

Até o tubarão riu...ou seria baleia??


(Pensando bem, Pedro tem razão. Essa é a "nova espécie" que habita nossos mares. Só não é mamífero)




PS: Esse post foi escrito com o consentimento do Pedro!

sábado, 5 de maio de 2012

"Que bonito ojos tienes..."

     Hoje vi o olhar do meu pai num determinado momento do dia. Ele estava internado e tinha recebido uma de suas inúmeras altas durante aquele ano. Apesar do corpo já bastante debilitado devido a doença, nunca me esqueço da altivez daqueles olhos galegos quando me viram. Acredito eu que no meio de tantas internações, ele não tinha se dado conta que já era antevéspera de Natal e que, sem sabermos, eu estava ali para aquele que seria o último Natal que passaríamos juntos. Em "La Noche Buena", depois da ceia como de costume, ele assistia a Missa do Galo destrinchando todas as agruras que havia passado na época do seminário, na Espanha, e de final, acompanhava as partes cantadas da missa junto com o Papa João Paulo II, justificando seus altos conceitos em latim. O curioso é que esse "ritual" não nos aborrecia e até esperávamos por ele. Já estávamos acostumados. Seis meses depoio ele faleceu e ficaram as lembranças e esses flashes que me acompanham até hoje, dez anos depois que ele se foi . São segundos que me vêm assim, a qualquer hora, em qualquer lugar, onde vejo seus olhos, principalmente. Aliás, olhos foi o que ele me deixou de herança e  meus olhos é o que ele enaltecia quando, com seu violão na mão, me chamava e cantava: "que bonitos ojos tienes..."  Saudade, meu velho. Saudade...


quinta-feira, 3 de maio de 2012

Huuummmmmm!!

     Essa semana resolvi visitar a minha endócrino. O meu grau de aparvalhamento chegava a tal ponto que  estava  ficando impraticável usar o meu hipotireoidismo como bode expiatório. Até eu mesma já estava duvidando. Então, resolvi tirar isso a limpo. Para minha surpresa (jura?), hormônios todos controlados. Um comprimidinho pela manhã em jejum e vida que segue. Eu que fosse procurar em outra freguesia o motivo de tamanha leseira. Mas como quem procura acha, se eu não tinha nenhum problema quando cheguei lá no consultório, ao sair, tenho certeza que tinha acabado de arranjar um. Durante o exame clínico, me queixei à médica que estava só um pouquinho acima do peso. Quanto eu peso? Quem se importa? Tá, vai...73 Kg. Tá, 74.5 Kg...olha aqui, podemos fechar nos 75 Kg? Ok! Mas tenho 1.80 m, pôxa! Ainda está dando prá disfarçar (ai, como eu me engano!). Bom, diante da minha apreensão, sim amores, não sou escrava da vaidade, mas  também não quero me tornar uma "RIO-BAHIA": grande e mal acabada, a amorosa médica me disse: "Ihhh, você ainda pode chegar aos 79 Kg que está  muito bom para a sua altura..."  Pronto! Parece que, "vc ainda pode chegar aos 79 kg" foi a única coisa que meu cérebro processou durante esse episódio todo. Desse dia em diante passei a ter uma fome descomunal, mentira, fome não, mas comecei a sofrer da "Síndrome da Boquinha Nervosa" e ataco tudo que permaneça imóvel por mais de um minuto (ainda bem que meus filhos não param quietos). É incrível como todos os caminhos andam me levando a um só destino: comida. Parece que meu cérebro anda com um outdoor ambulante piscando ininterruptamente: comida, comida, comida...
Mas, tolinho é  você leitor amigo que pensa que vou me entregar aos prazeres da gula. Nã, na, ni, na, não...comigo não violão..."segunda" começo uma dieta e academia e, por via das dúvidas, já exclui do Facebook uma amiga que só posta guloseimas o tempo todo ( senti que era pessoal... aquela magrela, hunf).O que que é isso? Nunca fui glutona...estou confiante que retornarei aos meus 71 quilinhos, claro...sim, saúde, mais disposição, até o sexo melhora, neam?! Então...pera aí...hoje é que dia? Quinta ainda...huummm...essa horinha da tarde...tempinho borocoxô...correndo pra padoca comprar aquele bolinho de fubá cremoso que só o Airton, meu padeiro querido, sabe fazer!  Segunda a gente conversa...


quinta-feira, 26 de abril de 2012

"Davi no Conta Gotas: Eu não sabia!"

Davi encontra uma aranha na cozinha e não sossega enquanto não dá fim à pobre da bichinha. Com toda a sapiência dos seus quatro anos, pega o chinelinho e puft! Mata, remata e mata de novo e..."Davi, por que está fazendo isso com a aranha? Sabia que ela é nossa amiga? Ela come os mosquitos!"
Diante da minha afirmação, ele fez uma cara de perplexidade (sim, ele é ótimo em fazer essa cara ) e diz olhando para o pé: "Desculpe, aranha. Eu não sabia..."
(Foto escolhida pelo Pedro, meu filho)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

"O Peixe esvaziou o Salão e mandou embora as suas Sereias!"

No dia 14 de Abril, o Santos Futebol Clube comemorou o seu centenário. Eventos pipocaram por toda a Baixada Santista e o caldeirão da Vila Belmiro recebeu o Rei Pelé e o governador Geraldo Alckmin, que se diz santista (eu sei amores, nenhum time é perfeito). O Santos chega aos cem anos com corpinho de moleque. Neymar que o diga e que nos mostre ( o que foi aquele gol contra o Flamengo ano passado, hein?! Ah, tá! Foi só o gol mais bonito de 2011). Time celeiro de grandes craques, o Santos revelou Pelé (aos 16 anos), Pepe, Edu, Clodoaldo e, em 1978, numa sacada de mestre, o técnico Chico Formiga, para reverter uma situação crítica devido à falta de dinheiro do clube à época, acreditou na “prata da casa” e apresentou ao mundo futebolístico um elenco estelar encabeçado pelos meninos Pita, Juary, João Paulo, Nilton Batata entre outros. Com esse time foi Campeão Paulista e os santistas em festa comemoravam nas ruas com chupetas na boca numa alusão a pouca idade dos jogadores. Ouviu-se então, pela primeira vez, a expressão que eternizaria os jovens craques do time: “Meninos da Vila”. Em 2002, chegaram Diego e Robinho (quem se esquece daquela final contra o Corinthians? Robinho e suas pedaladas?) e hoje, Ganso e Neymar, pelo menos até 2014 (é o que juram os dirigentes) dão continuidade a tradição santista de garimpar novos talentos. Mas se o passado é só de glórias, no presente nem tudo são flores e ano passado as atividades do time de Futebol Feminino (Campeão Paulista e Bicampeão da Libertadores entre outros títulos) e do Futebol de Salão (Campeão Brasileiro de 2011) foram encerradas, por serem atividades inviáveis economicamente, segundo a diretoria do Santos. O que não entendo é como um Clube que tem como seu garoto propaganda o maior jogador de todos os tempos, que se mostra um gigante na área do marketing quando o assunto é vender jogadores ao exterior, não consegue “vender” duas categorias que só trouxeram vitórias desde que foram criadas. E não estamos falando de falta de talentos.O time feminino do Santos, por exemplo, é a base da Seleção Brasileira e ainda assim, ano passado, as meninas tiveram que fazer um calendário de fotos (belíssimo trabalho, diga-se de passagem) para honrarem seus vencimentos. Um verdadeiro absurdo essa falta de apoio às Sereias da Vila. Não quero colocar água no chopp da comemoração de ninguém mas, fica aqui o meu repúdio veemente a extinção dessas duas categorias. Que o Santos volte atrás e colabore para que o Brasil não seja só o país do futebol... MASCULINO...E DE CAMPO.


sábado, 14 de abril de 2012

"Manga Encruada"

Apesar de morarem juntos há muitos anos, nunca se entenderam. Apenas se toleravam. O cérebro sempre se aproveitando da sua pretensa superioridade vivia subjugando o coração que tantas vezes se vira preterido, até mesmo espezinhado. Ela percebia a situação e sabia que mais cedo ou mais tarde, teria que dar um jeito nessa pendenga a não ser que quisesse ver um dia, por vias tortas, um levante daquele pequeno Davi que morava no seu peito.  Até porque já andava cansada de tanta contenção. De negar o desejo que lhe deixava a boca seca. Não é porque tinha se machucado uma vez que aconteceria de novo. E se acontecesse, ótimo! Desbancaria de vez a teoria de que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Valeria a pena só pela contradição, só por ter tido a chance de tentar de novo e errar.  Ajeitou-se na cadeira e ficou assistindo a chegada dele. Forte (musculoso na medida certa, nem menos nem mais), braços torneados, perfeito para o que ela precisava naquele momento. Sem camisa feito menino criado solto, sentiu certa inveja daquela liberdade que sempre lhe fora negada ou que ela mesma não se permitira usar e ousar. Foi então que num ímpeto de coragem ela esqueceu o pudor e quase gritando disse:
     -Ôh, garoto?! Dá pra você subir aí nessa árvore e pegar uma manga pra mim? A “tia” até que subiria se não tivesse com a perna quebrada. É que eu fui tentar subir semana passada e...
    -Ah... vai dar não. Tô jogando bola! E depois, essa árvore é alta pra caramba... vou cair, né?!
    - Nossa, mas que coisinha ruim, hein?! Custa subir aí e pegar uma manga pra tia?
   -Pego nada! E você num é minha tia. E tira essa cadeira daí que tá atrapalhando o jogo!
Creeedo! Gente... cadê aqueles “garotos bonzinhos” de antigamente? Te contar, viu... MOLEQUE MEDROSO!! MOLEQUE MEDROOOSO?!
Também, quem disse que ela queria manga? Queria não... estavam verdes e ela tinha CERTEZA disso...                

quinta-feira, 29 de março de 2012

"Enquanto há dentes bons, há esperanças"

(Post que eu escrevi para o "Balaio da Gata" no Interrogações (blog PHINO do meu amigo Zatônio/ Mestre Zats)

Com o sério propósito de me tornar uma gueixa de verdade, vou sempre ao supermercado comprar o sagrado pãozinho nosso de cada dia para os três amores da minha vida (o que foi, Mestre Zats? Não entendi a gargalhada. Quer, por favor, respeitar o meu esforço?). Continuando... hoje, já no caixa, a cena de dois rapazes olhando atentamente a capa de uma revista me chamou a atenção. (Qual é o problema? Perguntarão vocês, atenciosos e amados leitores). Nenhum, não fosse o fato de nessa capa não existir um famoso derrière avantajado, mas sim, apenas o rosto de uma dessas mulheres bem comuns aqui da Terra mesmo. Enveredando pelo campo minado das generalizações, definitivamente achei que nada ali poderia despertar a atenção daqueles jovens mancebos. Encafifei. Encafifei até ouvir sem querer (mentira!) o sutil diálogo entre eles:
“-Olha só! Que sorriso bonito! Nem tem photoshop!
-É verdade! Ela tem os dentes bons! 
-É! Com uns dentes assim, qualquer coisa eu até encarava...
-Hehehe...” 

 Ãh? Como assim? Choquei! 



(ATENÇÃO PARA O MOMENTO "CARA DE PERA" DE CLARINHA)


Pois foi assim, meus amores, diante de tamanha decepção, que descobri nesse momento como a importância de uma boa dentição, às vezes, pode estar relacionada a algo mais "profundo" do que somente a questões de estética e saúde. Saí do supermercado, não por acaso, me lembrando que preciso urgentemente colocar o meu aparelho ortodôntico. Imagina se encontro um tipo desses pela frente a fim de me “encarar"? Preciso estar com os dentinhos em dia para o cidadão, nem que seja para mordê-lo e matá-lo de raiva. E aí, vai encarar? 
Bom, deixem eu voltar para o meu exercício diário de abdicação, dando sequência ao sério  propósito de me tornar uma gueixa. (Tá rindo de novo, Mestre Zats? Quer parar? Saco!)

segunda-feira, 26 de março de 2012

"Davi no Conta Gotas"

 "Discutindo" com o Davi (4 anos):

"...e você não sabe de nada, mãe! Eu é que sei, cão é dog, gato é cat e eu não sou mais seu filho!"



segunda-feira, 19 de março de 2012

"Anjo da Guarda Underground"


Meu anjo da guarda é torto.
Caolho, tarado.
Só quer me comer...
...só quer me comer
Pra me proteger.

Meu anjo da guarda é torto.
Ateu, já foi ao inferno
Mas hoje mora numa nuvem...
...que sai do seu cigarro.

Meu anjo da guarda é torto.
Surdo mas me ouve como ninguém.
Tem as orelhas do Lobo Mau.
Conhece bem a Vovozinha e a Chapeuzinho que alimento.

Meu anjo da guarda é torto.
Mas quando estou em perigo,
Grito e ele vem
Abre as suas asas
Acolhe a minha alma
Me faz rir...
...me acalma.
A vida é para os fortes. Só quem é anjo e torto sabe...

terça-feira, 13 de março de 2012

"É DIA DE DAVI!"

     Na primeira vez que te vi, há quatro anos, você era rosa. Você chorou e eu sorri. Maior do que eu esperava, ocupou um espaço enorme em mim. Não me importei. Gostei! Tomou todo o meu tempo, meus dias, minha insônia e também os meus seios. Virou tema recorrente nas minhas rodas de conversa e assunto para a minha falta de assunto. Mas não me policiei.
     Eu me permiti lamber, cheirar, beijar, babar, errar e acertar. Aprendi a compartilhar, doar e receber. Ouvi muitos conselhos. Uns até segui. Outros, dei de ombros. Simpatias? Até hoje sei um vasto repertório, mas fazia só a do pontinho vermelho. Aquela do soluço. soluço. E não é que parava?!
     Recorri mesmo foi ao instinto. Não ao materno, mas sim,  ao de sobrevivência. Precisava "sobreviver", e bem, por você e por mim ao evento que é ter um filho, ainda que fosse o segundo, tão essencial, querido e diferente do primeiro, o Pedro.
     Davi é a minha segunda janela. Mais uma chance que tive de espiar com singularidade e generosidade o mundo que, com certeza, ficou bem melhor depois que eles chegaram. São meus dois olhos por onde enxergo através do amor. Onde me reconheço mais humana, mais condescendente até comigo. Pode ser clichê mas não me importo, vou me permitir. Porque com eles é assim:  vivo me permitindo e tenho sido redundante e obviamente FELIZ! Não vou me policiar...não com eles!




quarta-feira, 7 de março de 2012

"A GENTE NÃO QUER SÓ ROSAS, POEMAS E CANÇÕES!"

   Amanhã, dia 8 de Março, comemora-se mais um "Dia Internacional da Mulher". Rosas, poemas e canções geralmente são os mimos com que nos presenteiam nesse dia. Mas aqui no Guarujá, nós mulheres, receberemos do Poder Público boa dose de descaso, abandono e muito, muito mato...


(Prédio onde deveria ser o Centro de Referência da Mulher do Guarujá)

   Nesse prédio abandonado funcionava, já em condições precárias, a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) do Guarujá. No intuito de construir no local um Centro de Referência da Mulher a Prefeitura desalojou a DDM, fazendo com que ela se resumisse ao que é agora: uma sala na Delegacia Pública da cidade. Além de comprometer o atendimento à mulher que foi vítima de violência, pela inadequação do local onde a DDM se encontra hoje, nem um tijolo sequer foi colocado ali no que seria o futuro CRM. 
   O caso por si só já demonstra o descaso com que o Poder Público vem lidando com a questão. Se analisarmos ainda que o Guarujá, seguindo na contramão do panorama nacional, aumentou seu índice de mortalidade infantil nos últimos dez anos por falta de atendimento ao parto (Folha de São Paulo/ 30-08-2011), essa morosidade em resolver o problema, em colocar em funcionamento um Centro que seria de suma importância para auxiliar no atendimento as carências gritantes das mulheres da cidade, o caso torna-se ainda mais assustador.
 
  A verba existe e já foi liberada, o espaço existe e está disponível. O que está faltando então? 

CRONOGRAMA DA MOROSIDADE:

Conforme informações oficiais do site da Prefeitura do Guarujá, em 16/03/2011, a verba para a construção do Centro de Referência da Mulher é anunciada:

(16/03/2011)
"Guarujá vai receber o maior investimento em Saúde dentre os municípios da Baixada Santista. (...)
 Já o Centro de Referência da Mulher será instalado em Vicente de Carvalho, na Avenida Santos Dumont."



Na Conferência  Municipal de Políticas Públicas Para Mulheres, em 29/08/2011, a implantação do Centro, assim como a reforma da DDM, que até hoje também não ocorreu, são anunciadas.

(29/08/2011)
Na oportunidade, a prefeita anunciou que a Delegacia Sede de Guarujá, assim como a Delegacia de Defesa da Mulher, será reformada, para atender as mulheres vitimizadas e que o Governo do Estado já reservou R$ 1 milhão para a implantação do Centro de Saúde e Atendimento à Mulher. O centro será implantado no prédio onde funcionava antigamente a DDM, em Vicente de Carvalho.



Na cerimônia de entrega da unidade do Hospital Emílio Ribas no Guarujá, em 27/11/2011, onde antes funcionava o Hospital Maternidade Ana Parteira,  fechado por irregularidades, o governador Geraldo Alckmim garantiu que a verba estaria à disposição do Executivo no dia seguinte.

(27/12/2011)
O governador trouxe ainda outras boas notícias para a Pérola do Atlântico. Uma delas é a liberação de R$ 1 milhão para construção do Centro de Referência da Mulher, em Vicente de Carvalho. Segundo Alckmin, nesta quinta-feira (28), o montante estará à disposição do Executivo Municipal, para início das obras. O Centro será erguido na antiga delegacia da Mulher.

E, EM 07/03/2012...A REALIDADE



DESCASO, ABANDONO E MUITO MATO!!!

No Dia Internacional da Mulher, nos dêem o nosso CENTRO DE REFERÊNCIA DA MULHER! Não porque seja um presente, não porque seja um favor, mas sim, porque é um DIREITO nosso. Direito à saúde, à assistência social, ao planejamento familiar, ao atendimento adequado em caso de violência. Dêem-nos DIGNIDADE E RESPEITO! AS MULHERES DO GUARUJÁ AGRADECEM...
...depois disso, se quiserem continuar nos dando "rosas, poemas e canções", sem problemas. Algumas de nós até gostam.







domingo, 26 de fevereiro de 2012

RESILIÊNCIA


A palavra não vem. Ela busca, rebusca, mas não vem...

Talvez porque o momento peça silêncio, encapsulamento, digestão.

Cansou de ser o São Jorge, pirou e
comeu o dragão, mas não consegue soltar o fogo pelo nariz...

Está revirando as tripas, os poros, o púbis...

Frio que cala a fala em pleno sol de verão.

Joga a garrafa ao mar.

O socorro já chega  enfiando a mão na garganta. 
Ela vomita e respira aliviada.

Agora ela já pode falar. Entendeu que, mais do que comer o dragão, 
 precisa é aprender a comer um dia de cada vez...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

BOLO DE CHOCOLATE

 A preparação é mínima. Só os segundos da subida. E como sobe! Alto, alto, alto...

De repente, peito para frente, prestes a ganhar asas, a liberdade em queda livre.

Ele se joga com tudo: cabeça, alma e coração. Não se importa se a corda pode arrebentar.

Corda? Que corda? Não está preso a nada e ri na cara de quem tem medo...

Lá embaixo, ela olha e admira a coragem dele, mas prefere a comodidade dos covardes.

Vai para casa fazer um bolo de chocolate.

Não sabe cozinhar... queima o bolo e não aquece o coração.


                                                                                                                  

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

"HOMEM, PEGA, ESTUPRA E MATA!"

     Apesar das tentativas de  abafar o caso, um dos suspeitos é filho de um deputado estadual, chega a mídia mais um caso estarrecedor de violência contra a mulher. Agora, é o "caso de Queimadas", na Paraíba. Fico me perguntando até que ponto pode chegar a bestialidade humana: "Estupro coletivo encomendado para presente".  Um verdadeiro sopapo na cara da sociedade. Fratura exposta. Dói, sangra.
   A frieza com que esses dez monstros tramaram tudo é de enojar. Aliás, tudo nesse caso causa repulsa. Na delegacia, um deles disse o seguinte sobre o seu comparsa que teria "convidado" as mulheres: "Ele disse que queria pegar as meninas mas não ia matar elas". Ou seja, ESTUPRAR pode?! Não, não pode! Estupro é CRIME tanto quanto ASSASSINATO, e eles extrapolando até mesmo seus parâmetros mais enviesados, ESTUPRARAM E MATARAM.
    Conversando com um amigo sobre o caso, ele acredita que além da punição, a sociedade deveria fazer esses CRIMINOSOS ressignificarem seus crimes. Não sei se continuo acreditando nessa possibilidade. Estou me tornando meio cética quanto a evolução da humanidade. Preciso de tempo para absorver mais essa barbárie e reavaliar conceitos. Enquanto isso, o que posso fazer é não me calar, é não aceitar que mais uma vez imputem a culpa às mulheres. Vou acompanhando o caso e esperando que a Justiça aja com o rigor devido e tantas vezes negligenciado. É o mínimo. Que as mortes de Michele Domingues da Silva (29 anos) e Isabela Pajussara Frazão Monteiro (27 anos), não se tornem apenas mais um número frio nas estatísticas. Se "a sociedade está doente", que procuremos TODOS pela cura. "Não me perguntem por quem os sinos dobram, eles dobram por ti!"  




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

"SANDÁLIA DE PRATA"

O samba é uma grande paixão. Mexe e remexe com ela. Fica molinha, com vontade  de requebrar com a mãozinha na cintura. Ela samba, mas só no miudinho, no cantinho, sem entrar na roda porque não tem sandália de prata. O samba insiste, seduz, mostra as cores e os calores de que ela gosta. Mas ela não se atreve sem a sandália. Sabe que na quarta-feira de cinzas, quando a folia acaba, precisa da sandália para se despedir, jogá-la bem longe e entender que não vai sambar o ano inteiro, sem a roda, sem o samba.
Mas ainda assim ela samba, rainha do seu Carnaval, sem reis, sem príncipes, não precisa. Precisava mesmo era da sandália de prata se fazendo ouro, ofuscando o resto da fantasia, brilhando no seu apogeu.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

"PAVÊ DA PREGUIÇOSA!"

     A receita era antiga. Tinha tirado de um jornal e já fazia um bom tempo que o recorte amarelado andava perdido em alguma gaveta não tanto remexida. Mas ela não precisava de receita, tinha tudo guardado na cabeça. Até porque, o tudo era quase nada. Foi então para a cozinha, fazer o único doce que a sua má vontade  lhe permitia fazer.
     Para o creme, duas latas de leite condensado e a mesma medida de leite. Três gemas de ovos que, quase  por um acaso, aprendera com uma doceira a retirar aquela fina película transparente que envolve a gema e que dá o tão característico, e por vezes desagradável, cheiro de ovo aos doces (pelo menos, assim tinha lhe dito a tal doceira).
     Biscoitos? Escolhia os de maisena mesmo, já que os tradicionalmente usados, os biscoitos champanhe, deixavam o doce, doce por demais. Essa doçura toda, definitivamente não lhe agradava.
     Frutas? Poderia ser qualquer uma. Morango, abacaxi, pêssego...na verdade, pensando nos filhos, optou pelo pêssego ao invés da acidez do abacaxi, ainda que eles nunca comessem o único doce feito pela mãe. E por que não morango? Porque ela nunca gostou de morango, nem de nada que fosse feito com morango. À boneca talvez, tenha aberto uma exceção...
    Para a cobertura, três claras, três colheres de açúcar, até alcançar o lúdico ponto de suspiro. Essa era a parte da receita que ela achava mais bonita. Um tanto quanto nostálgica também. Sentia falta do suspiro perdido quando, aos poucos, ia acrescentando porções generosas de creme de leite e a cobertura ia se engrossando. Enfim, aceitava resignada...
    Começava a montagem do doce espalhando uma camada espessa do creme no fundo do pirex, o que sempre a obrigava a esticar ao máximo com a colher a última camada antes da cobertura. Era incrível como sempre, pelos seus cálculos, o "creme daria certinho para todas as camadas" e não dava...
   Os biscoitos poderiam ser banhados no leite, no refrigerante ou no resto de vinho que ela achou jogado na geladeira. Dessa vez, não se lembrou dos filhos. Por quê? Eles não comeriam mesmo!
   Os pêssegos foram picados em forma de lua. Não dormiria se não fossem picados em forma de lua. E, camada após camada, lá estava ele, finalmente pronto: o "PAVÊ DA PREGUIÇOSA!"
   De noite, foi para a mesa e brilhou sozinho como sobremesa. Outros doces mais metidos e prometidos acabaram por não vir. Ela  não pôde deixar de sentir uma pontinha de orgulho. Logo o seu pavê, tantas vezes alvo do deboche alheio, agora, ali, com cara de "doce de verdade" fazendo "as honras da casa".
    Por fim, sentada no braço do sofá, se deliciou com um pedaço bem farto daquela iguaria feita pelas suas próprias mãos. Um avanço! Segunda-feira, se não tivesse preguiça, pensaria em gastar todas aquelas calorias adquiridas. Por ora, estava apenas feliz. Sem precisar de receita!