quinta-feira, 29 de abril de 2010

"POEMINHA DE VERÃO"

A gente não fez planos juntos,

não dividiu sonhos,

nem ideais.

Não compartilhou preferências,

não fez concessões,

e nem discutiu "pormenores".

A gente não teve música preferida,

viagem inesquecível...

...e nem jantar especial!

Não teve "sessão de cinema",

"sofá" em dia de chuva,

nem domingo de sol.

Não tivemos "dia dos namorados",

primeiro brinde,

primeiro presente,

sequer "primeira briga"...

...que dirá uma volta.

Mas quando você foi embora,

fiquei tão triste, tão triste,

que a coisa de que mais senti saudade,

foi exatamente de tudo isso que a gente não teve!

Dizem que dor de amor mal resolvido é assim:

"Todo dia passa um pouquinho...

...mas não passa nunca!"

terça-feira, 27 de abril de 2010

"RAPIDINHAS DO PEDRINHO"

"RÉU CONFESSO!"
Toda vez que vou buscar o Pedro na escola, ele tem um "assuntinho"e, ontem não foi diferente...
-Mãe, é verdade que o Corínthians nunca foi campeão mundial?
-Ih Pedro, não tenho certeza...pergunta para o seu pai, tá?!
E ele continuou:
Sabe por que mãe? Eu falei isso para o "outro Pedro" e ele não acreditou! Disse que era mentira minha...
Olha Pedro...não vai arranjar confusão por causa de time, hein? Cada um é o time que quiser e pronto!
Não mãe, mas primeiro ele tava me tratando bem. Depois falou que não ia mais ser meu amigo só porque eu sou santista. Aí...depois...bem no finalzinho da aula mãe, ele CONFESSOU que, tem dois melhores amigos: um corinthiano e um santista!!!

domingo, 25 de abril de 2010

"... QUE VENGA EL TORO!"




Sexta feira fui levar o Pedro para tomar a vacina contra a gripe influenza H1N1 (que nomezinho mais burocrático, não?!) Só pude levá-lo agora porque vinte dias atrás, ele estava com dengue. Pois é; de "praga" em "praga", a gente vai sobrevivendo, uns...nem têm tanta "sorte"! Para quem acredita que o mundo vá acabar em 2012, tais "manifestações" já seriam os primeiros sinais do "começo do fim".Vale a pena lembrar aqui que, caso a coisa caminhe para esse lado, mais uma vez o Brasil sairá perdendo nessa. Com uma COPA e uma OLIMPÍADA agendados para "depois do fim do mundo", quem vai querer investir nessa "roubada"? Não dará a menor audiência...TENHO CERTEZA!


E eu? Tudo bem que ando reclamando que a minha vida anda muito "normalzinha", sem fortes emoções, sem eventos expressivos...mas vamos combinar que, participar do "FIM DO MUNDO", já é um pouco demais. E pior, não vou ter nem prá quem contar depois...ainda se fosse o "COMEÇO DO MUNDO", teria uma chance de ficar famosa: "Encontrada múmia de mulher que, ao que tudo indica, é de uma das primeiras tribos humanas existentes na face da terra." Nossa! Que luxo! E eu lá: "toda durinha!!" E todo mundo comentando: "Como ela tá durinha..." "Vc viu,du-ri-nha!!" (Muito ex-BBB/ presença VIP, se mataria de inveja).


De repente começo a pensar o que fazer nesses dois últimos anos. Ai, não! Não quero nem pensar! Ou melhor, preciso pensar e rápido para não perder tempo.Tempo...que tempo? Não tenho mais tempo. Estou ficando muito nervosa. Daqui a pouco tenho um "siricutico" e travo. Ótimo! Vou passar meus dois últimos e preciosos anos, catatônica, olhando para o nada!


Já sei! Mais amor...é isso! Vou "relaxar e gozar"como explicou aquela simpática e modernosa senhora na tv. Mas como? Vai estar todo mundo muito mais estressado e com o mesmo problema que eu : "Só mais dois anos de vida!"


Olha, acho melhor a gente ir com mais calma...estava aqui refletindo, pensando melhor sobre toda essa loucura...Quer saber? A nossa vida não é uma verdadeira "ROLETA RUSSA" mesmo?! Posso viver mais 20 anos, mais 10 anos, mais 2...meses! Portanto, não vou mais me preocupar! Vou continuar aqui com "meu arrozinho com feijão", fazendo as coisas do mesmo jeitinho de sempre... na minha "labuta diária" pela sobrevivência e, principalmente resistindo para não me deixar intoxicar por aquilo que, talvez realmente seja, o grande mal à espreita , capaz de exterminar de vez com esse nosso "planetinha": a ganância pelo poder e pelo dinheiro. No mais...(como diria meu pai): "...QUE VENGA EL TORO!"

sábado, 17 de abril de 2010

"FALA DEMAIS QUEM NÃO TEM NADA A DIZER!"

Estava lendo agora no blog do Bruno Medina, INSTANTE POSTERIOR, uma crônica sobre os dizeres das camisetas e, me lembrei de uma que vi outro dia. Dizia assim: "Que Deus cuide dos meus amigos porque dos meus inimigos cuido eu! "Como o rapaz que usava essa camiseta era franzino, fiquei pensando qual motivação ele teria para levar no peito, digo, nas costas, essa singela mensagem. Será que ele seria uma daquelas pessoas escolhidas a dedo, tipo uma em cada continente, por um "antigo guerreiro japonês" para ser aprendiz de um método de luta milenar e raríssimo? Ou será que ele teria sido abduzido por "ets" e, sem saber de nada, quando voltou à terra tinha descoberto ser detentor de "ULTRA PODERES ESPECIAIS", desde que, apertasse a luzinha azul que agora levava no peito bem embaixo da camiseta? Não, não...resolvi pensar em algo mais real! Talvez ele andasse armado! Era isso. Andava armado e assim se sentia tão protegido a ponto de usar uma camiseta com um dizer tão estúpido. Aliás, síntese do momento que a gente vive hoje onde a violência é cada vez mais gratuita e explícita.
Bom,depois dessa primeira questão, visto que eu estava na fila de um caixa de supermercado e essa fila não andava, comecei a pensar numa segunda, mas não menos importante questão: como ele definiria "seus amigos" e "seus inimigos"? Talvez seu "amigo" fosse aquele cara que lhe vendeu a arma. Como saber?Imagina se eu, com esse meu jeito estabanado de ser, viro o carrinho de compras violentamente e...acerto quem? ELE! O próprio! O dito cujo da camiseta! Até eu percorrer o caminho de: "FICAR SEM GRAÇA, EXPLICAR QUE FOI SEM QUERER, PEDIR DESCULPAS E FAZER AQUELA PERGUNTA ORDINÁRIA: '-MACHUCOU'? "Ele já teria: "SENTIDO A PANCADA, NÃO VISTO QUE FOI SEM QUERER E CONCLUÍDO 'ASTUCIOSAMENTE' QUE, SOU SIM SUA POTENCIAL INIMIGA. "Pronto!! Lá vou eu para as manchetes de jornais: "MULHER ATROPELA RAPAZ DENTRO DE UM SUPERMERCADO COM UM CARRINHO DE COMPRAS, E MORRE COM UM TIRO NO PEITO!! Que horror...
Finalmente quando chega a minha vez no caixa do supermercado, volto à realidade. Idéias mirabolantes a parte, acho mesmo que esse rapaz perdeu uma ótima oportunidade de se expressar de uma maneira mais positiva e menos agressiva, ou até mesmo de não se expressar porque às vezes "FALA DEMAIS QUEM NÃO TEM NADA A DIZER. "Espero que numa próxima vez, ele aposte numa camiseta lisa, branca ( DA PAZ...talvez!) Fica aqui a sugestão. E quer saber mais? Depois dessa, pensei seriamente em mandar fazer uma camiseta para mim escrito assim: "QUE DEUS NOS GUARDE DE NÓS MESMOS!" e...AMÉM!!!!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

"RAPIDINHAS DO DAVI"

DAVI NÃO É O CARA!!!

Sempre quando pergunto para o Davi se ele "é o cara?!", ele responde assim:
"-Nau mai, xô o caa nau, xô VAVI!!"

sábado, 10 de abril de 2010

ASSUMIR OU RECONHECER! QUAL A DIFERENÇA?

Sempre desconfiei das pessoas que tem mania de sair por aí assumindo facilmente seus defeitos. Acho que na verdade, querem muito mais serem reconhecidas pelo seu "ato de grandeza" (se assumirem falhas) do que propriamente pela sua humildade. E depois, se a gente reparar bem, essas sessões de "mea culpa" sempre vêm acompanhadas de alguma justificativa que serve para amenizar a culpa em si. Coisas do tipo: "Ah, eu sou assim mesmo porque..." ou  "Ah, eu posso ter feito isso, mas fulano..." ou ainda  "Você viu ciclano?Queria que eu fizesse o quê?" . Enfim, não vejo muita sinceridade nessas reflexões! Talvez ASSUMIR defeitos seja mais fácil do que realmente RECONHECÊ-LOS.
ASSUMIR defeitos não quer dizer necessariamente que vc queira mudar, muito pelo contrário, pode ser apenas a confirmação de sua intransigência. RECONHECÊ-LOS sim, é o primeiro estágio para um grande e complexo processo de mudança. A partir do momento que vc se conscientiza sobre os seus defeitos, reflete profundamente onde eles estão lhe causando as maiores perdas e demonstra boa vontade em começar a mudar, vc recorrerá a um longo e pleno exercício diário afim de evitá-los, até que, se possível for, eles se tornem cada vez menos evidentes, sem que seja "necessário" ASSUMI-LOS.
Quanto aos meus defeitos, é claro que os tenho! A maioria deles "até"  RECONHEÇO e luto para que não se tornem recorrentes ou vícios. Agora quanto a ASSUMÍ-LOS...confesso que não tenho a menor vontade de sair alardeando-os aos quatro cantos. Prefiro deixar para as pessoas que queiram se "divertir", a missão de adivinhá-los. Afinal...tem gente que "ADORA" apontar um "defeitinho" nos outros, não é mesmo?!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

QUANTO VALE A VIDA DE "MARIA"?

Maria é uma típica representante da classe trabalhadora brasileira. Não só da classe trabalhadora mas também de uma classe que cada vez mais vem tomando vulto na sociedade:a classe das mulheres "chefe de família". Ela é separada, tem duas filhas e precisa trabalhar para sustentá-las. Maria trabalha em "casa de família", aliás, em "casa de OUTRA família", porque também trabalha dentro de sua própria casa.
Maria é vaidosa. Gosta de se arrumar, usar batom e trazer o cabelo encaracolado sempre muito bem arrumado (diz que trabalha também prá isso). Quem a vê na rua reconhece um frescor e uma luminosidade na sua aparência, que é como se ela estivesse sempre acabado de tomar um banho. Mulher nova...batalhadora...e já cheia de responsabilidades.
Suas filhas são uns amores; a mais velha, Juliana, tem dez anos e sonha em ser modelo. Tem o corpo esguio, um sorriso lindo e uma elegância natural que deixaria qualquer nobre "no chinelo". A caçula, Juciara, tem carinha de arteira. Mas só carinha, porque tem uma ingenuidade tão inerente aos seus sete anos que só a torna mais meiga.
Maria é uma mãe zelosa. Dentro das suas limitações faz o que pode para que suas meninas tenham um certo conforto, para que não lhes falte nada. Ficou felicíssima em dezembro, por exemplo, quando conseguiu comprar uma cama "beliche" para as "JUJUS" (é assim que as chamo). Foi uma festa, mais um sonho realizado...
A partir de terça-feira passada, a vida de Maria e de suas filhas, já não é mais a mesma. De madrugada, em Niterói, sua casa rolou morro abaixo com tudo aquilo que Maria tinha conseguido adquirir com muito sacrifício. Pode-se dizer que teve "sorte" uma vez que conseguiu se salvar e salvar suas meninas. Outras pessoas não tiveram essa chance. Muitas mães ficaram sem seus filhos, muitos filhos ficaram sem suas mães, seus pais...novamente vamos assistindo a mais uma tragédia anunciada. Quantos sonhos interrompidos?Quantas famílias dilaceradas, rasgadas pela dor? Até quando as vidas de "Marias","Joanas","Joaquins",serão violentadas dessa maneira, por não ter o direito, apenas isso, o direito de ter uma moradia decente? Até quando os responsáveis se excluirão de suas responsabilidades, jogando a culpa à população que mora nesses lugares de risco, como se "escolhesse" morar ali, simplificando uma questão séria e tão complexa como se fosse uma banalidade? Até quanto...até quantos mortos? Quanto vale uma vida afinal? Quanto vale a vida de "Maria"?