sábado, 8 de novembro de 2014

Maré Cheia

Me dê espaços. 
Transformo vazios em acontecimentos,
Tormento em esquecimento.
Danço fora do compasso,
Saio pela tangente
Conheço a "toda la gente",
Viro, tropeço, e sigo em frente.
Me dê espaços,
Não se meta.
Não me diga onde e nem quando.
Apenas observe.
Admire.
Ou não.
Mas me dê espaços
E a certeza de saber pra onde voltar antes da maré cheia.