sexta-feira, 24 de julho de 2009

RAPIDINHAS DO PEDRINHO

Em certa ocasião, falando sobre meu pai com o Pedro, expliquei pra ele que o "Vô Voelito", assim meus sobrinhos o chamavam, já tinha ido morar no céu. Quando Michael Jackson morreu ele fez rapidamente a seguinte associação: "Mãe? O Vô Voelito já morreu, né?" respondi: "Já filho, já foi morar com o Papai do Céu!" e ele mandou de volta: "É eu acho que o Michael Jackson deve tá cantando e dançando lá para o Vô Voelito"...

quarta-feira, 8 de julho de 2009

SOBRANCELHAS

Você me surpreendeu, não digo logo de cara mas aos poucos. Não porque era diferente mas justamente porque me mostrou que há várias maneiras de "ser igual". E o "seu igual" era entusiasmante! Gostava de te "ler"impulsivamente para saber o que viria depois, depois e depois...uma sensação entorpecedora, inebriante, da qual eu já era um dependente confesso.Vivi dias de êxtase...me tornei poeta, artista plástico, filósofo, astrônomo...a vida era intensa, em profusão!! Mas um dia, acordei e vi que suas sobrancelhas não eram iguais. Como não tinha notado isso antes? Elas definitivamente não eram iguais!Você, claro, me disse que facilmente poderia dar um jeito nisso mas eu firme disse não! Pedi finalmente que você fosse embora... Como em tudo que acontece na nossa vida, aprendi uma lição; agora já sei..."A PRÓXIMA COMEÇO PELAS SOBRANCELHAS!!"

terça-feira, 7 de julho de 2009

SINFONIA INACABADA

Você sabia jogar xadrez e eu nunca aprendi. Sabia ler música e eu nunca aprendi.Você sabia espanhol e eu mal aprendi... Aonde foi que se perdeu a nossa comunicação? Tantas coisas eu também poderia ter te ensinado mas você não aprendeu. Só perdemos tempo nos criticando, nos provocando, nos afastando..."Pessoas tão diferentes!" Será mesmo? Talvez tenhamos sido somente o reflexo daquilo que menos tolerávamos um no outro. Faltou-nos paciência e a humildade de quem quer aprender... Ninguém queria ceder primeiro, se "desarmar" primeiro. E isso foi uma tamanha tolice. Isso; infelizmente eu aprendi... (27/08/2002). Hoje está fazendo sete anos que meu pai faleceu! Quando ele começou a ficar doente nos reaproximamos... Foi bom, pois ainda tive tempo de fazer alguma coisa por ele. Coisas que nunca imaginei precisar fazer por um homem tão altivo, tão pleno de vida! Fazia sua barba, ajudava-o a tomar banho... Nesses últimos trinta dias de sua vida, apesar do sofrimento de analisar toda a sua história de vida e agora vê-lo ali definhando, pude tirar muitas e profundas lições que vou levar pra sempre comigo. Me fez mais forte, mais humana e quem sabe um pouco menos radical... Realmente um aprendizado!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Mais uma da série: RAPIDINHAS DO PEDRINHO!!

              “Olha, lá Pedro! Seu irmão já está conseguindo descer da cama direitinho!

Olha como ele faz com a perninha...
Pedro responde empolgado:
-É mãe, parece até um cachorro!”