domingo, 18 de novembro de 2012

NADA

A gente tinha um nada tão grande mas tão grande,
que preenchia todos os espaços e incomodava todo mundo... 
...menos a gente que não tinha nada.
E seguíamos plenos!

3 comentários:

  1. Que lindo isso, Clarinha! Rupiei até o útero!

    ResponderExcluir
  2. Tudo e nada, nada e tudo, tudo ao mesmo tempo agora!! É o que há, meninas. É o que há...

    ResponderExcluir