quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Eu Passarinho...

O que liberta também é prisão.
A mão que afaga é o ego da corrente 
Se não raro, raso, mergulho profundo.
Demente.
Descrente.
Desatino.
Cretino.
Falo é nada. Só observo e faço poemas. 

Como quem quer viver,
Desanuvio.



                                                                  

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário