quarta-feira, 21 de maio de 2014

"Discurso Inflamado. É grave, doutor?"

-E aí, doutor, é grave?
-Bom, o discurso está inflamado e vamos ter que retirá-lo.
-Retirar? Como assim, doutor, então é grave?
-Calma! É mais comum do que você pensa. Hoje, eu diria até que existe  uma epidemia de discurso inflamado. Mas  o seu caso não é dos piores. Uma cirurgia simples e você estará livre do problema.
-Mas, doutor, como o meu discurso inflamou desse jeito? Não entendo...cirurgia?
-Ah, minha cara, a doença é  assim mesmo, progressiva. É como se a sua realidade não reconhecesse o seu discurso e o atacasse insistentemente fazendo com que ele inflame. É o que nós chamamos de doença autoimune, sabe? Mas não se preocupe! Já disse que a cirurgia é simples e que só há um pequeno risco de perda da capacidade oratória ou inaptidão para o debate. Mas para isso, logo depois da cirurgia, entraremos com doses diárias de autocrítica e vida normal. Apenas pedirei que se afaste por uns tempos, um ou dois meses, de coisas como happy hours, redes sociais, chats de grandes sites, palanques, palcos, palquinhos,caixotes, enfim, qualquer coisa que possa provocar uma crise de abstinência, que é bastante comum nesses casos e que será debelada a partir do momento  em que formos aumentando paulatinamente as doses de autocrítica.
-Não sei se isso vai dar certo, doutor! Como viverei sem meu discurso inflamado? E se eu não quiser operar, posso?
-Olha, eu não aconselharia porque o discurso pode inflamar de tal forma, mas de tal forma que...
-Que o quê? Fala,doutor!
-...que pode estourar e voar retórica para tudo quanto é lado.
-Ah, nãaao! Isso não! Que coisa horrível! Vamos marcar AGORA essa cirurgia.
-Tudo ficará bem, querida! No final, se você não se adaptar a falta do discurso inflamado, ainda poderemos tentar um choque de realidade ou até mesmo um transplante de discurso, um mais moderado, claro. O importante é que procurou ajuda logo que os sintomas começaram, e não deu tempo do discurso inflamado subir à cabeça, caso que, aí sím, seria fatal. E aí, vamos aos exames pré-operatório?
-Nossa! Obrigada, doutor! Estou surpresa  com o diagnóstico mas...confiante. Vamos lá!
-Isso, assim é que se fala! Acredite. Sei do que estou falando, tenho muita experiência no assunto. Já cuidei de casos bem mais difíceis...A realidade lhe será ótima como companheira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário