sexta-feira, 23 de julho de 2010

"UM DIA 'QUASE' PERFEITO DE FÉRIAS!"

     Nem bem o Pedro entrou em férias e já colocamos o pé na estrada. Fomos correndo para a casa da vovó! Nesse caso, a "casa da vovó", também é por tabela, a "casa do tio, da tia e dos primos". Os ares por aqui são os mais estimulantes possíveis para os meninos (Davi e o Pedro). Meus sobrinhos, além de saberem tocar instrumentos, (Aline toca guitarra, violão e tem uma banda de rock. David Lucas, toca bateria e agora está começando a aprender gaita) são atores. Minha cunhada é produtora de teatro, atriz, cenógrafa...e se precisar, pelo amor ao teatro, ela borda, chuleia e...o que eu acho mais importante, tem uma paciência de "Jó" com as crianças. Aonde ela vai, parece o "Flautista de Hamelin"; vai aquele monte de "bacurizim" atrás. Ah, e prá completar, tem o meu irmão que é radialista, e dá vida a inúmeros personagens no seu programa diário de rádio. Enfim...difícil voltar para casa sem muitas histórias para contar. A programação é extensa!
     No domingo, enquanto eu levava a vovó para passear, minha cunhada foi com os meninos e  com a outra sobrinha que veio comigo, a Carla, ao "Planetário da Gávea". É o que eu chamo de programa "BBB" : "BOM,BACANA E BARATO!" Prá começar, assistiram a uma peça no Teatro Maria Clara Machado chamada; "IGI, a árvore da vida."  
                                                                                                                                                                Dois menestréis chegam para apresentar um espetáculo, mas em função de uma amnésia de ambos, precisam ser ajudados pelo bom e velho baleeiro da platéia que conta uma lenda ancestral: IGI: A ÁRVORE DA VIDA.
Essa história fala de OJÚÀRE (olhos inocentes), um jovem rapaz que, para recuperar a saúde e felicidade de sua mãe OKANÌFÉ (coração de amor), e aconselhado pelo adivinho da aldeia, vai encontrar a “folha da vida” que habitava no ponto mais alto da copa da árvore mais antiga da Aldeia: O BAOBÁ.
Nessa viagem ele encontra alguns amigos e vários obstáculos, conseguindo sempre superá-los através da inteligência e dos bons sentimentos.
Ao fim dessa intrépida viagem, ele não encontra exatamente o que espera, mas algo muito mais valioso, que transforma completamente os rumos de sua vida.
Pedro (6 anos) entendeu e gostou de tudo. Já o Davi (2 anos), oscilou entre o
 encantamento e a impaciência.
Depois da peça, a "festa" continuou com os planetas. Pedro demonstrava toda a sua sabedoria sobre o assunto. Ia andando e apontando com o dedo, fazendo comentários pertinentes...quase um astrônomo! (Êh, mãe besta....) 


No final do programa, na hora em que minha cunhada, Denise, se despedia dos seus amigos atores, eles foram muito carinhosos, principalmente com o Davi por ser o menorzinho. Não vejo nada demais nisso. Mas...Pedro enciumado, não perdoou e, quando já no carro, a tia perguntou: "E aí, Pedrinho? Gostou? Ele respondeu "emburrado": "mais ou menos,tia...ninguém me deu tchau!"  Ahhhhh, tadinho! Haja psicologia!  


(PLANETÁRIO DA GÁVEA/RUA PADRE LEONEL FRANCA,240-GÁVEA/RJ)

2 comentários:

  1. Hahaha, muito figura mesmo!
    Bom, isso é que é férias (e como férias são mágicas quando a gente é criança)!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Hummm...fala pro Pedro que o tio Bruno mandou um Tchau pra ele! Principalmente que estarei no planalto central!

    ResponderExcluir