terça-feira, 4 de agosto de 2009

DIA DOS PAIS



Está chegando o dia dos pais e se tem uma música, seja ela "brega"ou não, que emociona bastante nessa época do ano é "PAI" de Fábio Júnior. Muitas pessoas, inclusive que já perderam seus pais, se deixam levar pelas lembranças e se emocionam muito. E por falar em lembranças..."lá em casa" teve um dia dos pais que ficou imortalizado justamente por causa dessa música.
Meu irmão já era casado e eu não era casada ainda mas já não morava mais com meus pais. Então, nos reunimos no domingo para aquele tradicional e famoso "almoço do dia dos pais". O curioso é que esses nossos encontros eram sempre um misto de alegria com uma pitada de nostalgia...não sei! Qualquer dia pergunto ao meu irmão se ele tinha essa mesma sensação.

Acabado o almoço, fomos todos para a sala assistir televisão como "pano de fundo" (é; fica todo mundo conversando e a televisão fica lá ligada, só fazendo "pano de fundo"). Vai entender...de repente, quem aparece cantando no Faustão? Ele mesmo! Fábio Júnior... "pai, eu já não sou mais aquela criança..." Como meu pai não era muito expansivo, não sabíamos se ele estava emocionado ou não. Mas meu irmão imbuído do sentimento provocado pela data, acreditando que "aquela linda canção", naquele dia tão especial, pudesse despertar os sentimentos mais resguardados do meu pai disse: "bonita essa música né, pai?!" Foi quando meu pai saiu do seu estado de letargia e fitando-o profundamente, do alto de sua sabedoria e sensibilidade, disse com seu sotaque espanhol: "Esse cara nom canta naaada rapaz!!"

Bom, assim era o meu pai. Às vezes não tinha noção do que nos magoava...não tinha muito melindre apesar de ser um homem de bem e cheio de qualidades também! Enfim era o seu jeito...e fosse ele como fosse, só sei de uma coisa: no próximo domingo; adoraria encontrar com ele por aí "prá pedir prá ele ir lá em casa, brincar de vovô com meus filhos, no tapete da sala de estar...pai, paaaaai!!!"



Obs: Esse dia apesar de sempre ser lembrado por nós, não nos deixou "grandes traumas"; ao contrário, sempre que lembramos desse episódio damos boas gargalhadas!!

4 comentários:

  1. É...o cara era assim mesmo!
    Mas era a minha referência. Aliás, é a minha referência!!

    Beijos Mana!
    David Rangel

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oh moça mais ingrata! E nem conhecia esse blog tão bacana! Meu emocionei com o texto acima...o Davisão era realmente uma grande figura. E que bom que voces vão poder gargalhar muito juntos ainda!
    Dia desses matei um pouquinho a saudade de seu irmão e da Dê!!! Bom estar com eles! Parece que sou da família também.
    Te adoro minha irmã! Opss...amiga!!!

    ResponderExcluir
  4. Tenho muitas recordações do teu pai, apesar daquele jeitão 'aparentemente' seco guardava muita sensibilidade. A última vez que o encontrei (no hospital por acaso), ele estava tristinho, mas foi tão gentil e carinhoso comigo...

    ResponderExcluir