quarta-feira, 11 de agosto de 2010

"MACHO SENSÍVEL"

     Hoje é quarta feira, mas a declaração feita pela atriz Maitê Proença, no domingo, no blog do "Estadão", ainda ecoa.


Blog do Estadão: Já decidiu seu voto? O que acha das atuais opções para a Presidência da República?
Maitê Proença: Gosto da Marina e do Serra.
Blog do Estadão: O feminismo já era ou a mulher ainda precisa lutar contra as discriminações da sociedade?
Maitê Proença: A mulher ainda é tratada como escrava na África, Ásia, países árabes, na maior parte do planeta. Só no ocidente houve progressos, muitos, mas ainda há discriminação. Quem sabe a própria venha a calhar nesse momento de eleições, atiçando os machos selvagens e nos salvando da Dilma? ( http://viomundo.com/)

Fico me perguntando, como pode uma pessoa com tamanha visibilidade nacional, que transita facilmente por diversos meios de comunicação, (os mais importantes do país), ter tanto desleixo, tanta irresponsabilidade com o que fala. Apesar de, ser só mais uma "asneira" do seu repertório que vai se tornando extenso, não deixou de causar polêmica. Será que ela desconhece a dimensão que um comentário infeliz desses possa ter? Sim, porque foi no mínimo infeliz. Principalmente se levarmos em conta que, esses "MACHOS SELVAGENS" que ela "conclama", são da mesma categoria (Cuidado Maitê! A classificação é muito abrangente!) dos "machos selvagens" que matam de duas a três mulheres por dia no país. Uma verdadeira epidemia que ela, em se dizendo mulher inteligente, tenho certeza que condena.

Agora, gostaria de apresentar uma outra categoria de "macho" que talvez Maitê não conheça; o "MACHO SENSÍVEL"



Esse é Márcio Nakashima, num momento de extrema tristeza e dor ao constatar que, depois de vários dias de procura, é sim de sua  irmã (Mércia Nakashima), o corpo que foi encontrado boiando na represa de Nazaré Paulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário